Barra de Localizaçâo

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A Lei 10.639/03 : Mais uma conquista

A Lei 10.639/03, que estabelece a obrigatoriedade do ensino da história e cultura afro-brasileira e africana na Educação do Ensino Fundamental e Médio é uma das muitas conquistas da luta de vários movimentos, pela forma violenta que os negros foram tratados no passado, que hoje ainda marcam profundamente o presente das futuras gerações de crianças, jovens e adultos que estão nas escolas, principalmente as públicas e com a inclusão da História e Cultura afro-Brasileiro e Africano nos currículos, contribuirá significativamente para que essas gerações se fortaleçam, portanto, aumentando a sua auto estima.

A escola como sabemos viveu durante séculos absorvida por teorias racistas, como do pensamento de Gobineau, Nina Rodrigues, fomos vítimas de pensamentos científicos, que queriam tornar os negros subalternos do povo branco, procurando através de seus estudos mostrar-lhes a sua inferioridade.

Uma das preocupação sobre a Lei 10.639/03, sentimos na fala do antropólogo, doutor professor da USP Kabengele Munanga, que em uma entrevista no Jornal a Tarde, na cidade de Salvador , que é importante para que as coisas comecem a funcionar, porém a forma que está sendo ensinado a História da África é preocupante, segundo ele, deve se definir o conteúdo da historiografia colonial estereotipada e preconceituosa. Ela deve considerar a África, como um continente com civilização. A grande imprensa apresenta a África , no caso do conflito da Quênia, como continente de guerras tribais, porém a África não é só tribo, mas o berço da humanidade de onde surgiram grandes civilizações.

O tratamento dado à África, pode levar aos Áfros descendentes diversas mensagens, como exemplo: Olha o continente de onde os seus antepassados são originários, se vocês estivessem lá o que seria das suas vidas? Daí a importância do preparo dos professores, levando a eles formação adequada e competência para trabalhar com a Lei 10.639/03, portanto, nota-se grande resistência como também a falta de conhecimento para se ensinar a história dos negros, a sua verdadeira história.

Precisa-se editar novos livros didáticos, material pedagógico com conteúdo adequado e formação de qualidade aos educadores. Não podemos errar como a abolição da escravatura e dizer " Vocês estão livres, agora se virem!"

2 comentários:

  1. Agora sim posso comentar!

    Gosto de sua militância, e as nossas conquistas não param!

    ResponderExcluir
  2. O seu blog está lindo, querida!
    Beijão.

    ResponderExcluir